Plasmocitoma maligno em cavidade oral de cão

Relato de caso

Autores

  • Danielle Oie
  • Josiane Sales
  • Vanessa da Silva Mustafa

Palavras-chave:

plasmócitos, neoplasia de células redondas, câncer em boca, oncologia veterinária, neoplasia mucocutânea, odontologia veterinária

Resumo

O plasmocitoma extramedular é uma neoplasia incomum em cães, geralmente benigna. Acomete normalmente animais idosos, sendo mais predominante em dígitos, pavilhão auricular e outros locais, como cavidade oral e reto. Quando maligno o plasmocitoma apresenta prognóstico reservado e o tratamento preconizado é a excisão cirúrgica completa associada a radioterapia ou quimioterapia. Foi atendido na clínica veterinária do Centro Universitário do Planalto Central Apparecido dos Santos (UNICEPLAC) um cão de 5 anos de idade, yorkshire, apresentando nódulo em cavidade oral, ulcerado e de crescimento rápido. Os exames citopatológicos inicialmente suspeitaram de plasmocitoma, seguido pelo diagnóstico de neoplasia maligna de células redondas, sendo posteriormente confirmado como plasmocitoma. Após o diagnóstico o paciente foi encaminhado para oncologista veterinário, para que fosse escolhido o melhor tratamento. A excisão cirúrgica com margem e quimioterapia de plasmocitomas na cavidade oral resulta em uma sobrevida média de 474 dias. Por outro lado, quando não realizadas excisões cirúrgicas adequadas e quimioterapia, a sobrevida média é de 138 dias, com recorrência do tumor em cerca de 50 dias. O presente animal passou pela oncologista veterinária que confirmou o diagnóstico de plasmocitoma, como não estava apresentando melhora clínica a tutora optou por não seguir o tratamento indicado e realizou a eutanásia do animal, a evolução clínica foi de aproximadamente 90 dias. O diagnóstico e tratamento precoces são cruciais para o sucesso no manejo, prognóstico e sobrevida do paciente com plasmocitoma. Portanto, é essencial conduzir mais estudos abordando aspectos como sinais clínicos, evolução, diagnóstico, tratamento e prognóstico do plasmocitoma maligno.

Publicado

18-05-2024

Edição

Seção

Clínica Médica de Pequenos Animais